Políticas Institucionais

Missão, Valores e Visão

A Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Gaia tem como missão atuar de forma dinâmica e empreendedora na comunidade envolvente proporcionando um conjunto de serviços de ação social personalizados e humanizados.

Os valores que orientam esta missão assentam sobre a honestidade, rigor e transparência na forma de atuação; confidencialidade, privacidade, sigilo e integridade na relação com o cliente; lealdade, urbanidade e espírito de equipa na sua conduta interna. A Responsabilidade Social é integrada como um dever moral e cívico.

É visão da Misericórdia de Gaia potenciar uma imagem atenta à evolução do setor social e pioneira na inovação, ao antever respostas sociais que vão para além da satisfação das necessidades e expetativas dos seus clientes.

Perante os parceiros sociais, dotar a Instituição de uma gestão sustentável, reconhecida na eficácia dos serviços prestados e na garantia de uma utilização eficiente dos seus recursos.

Política da Qualidade

Consequente com a sua missão, a Mesa Administrativa adota o Sistema de Gestão da Qualidade e incorpora-o na sua cultura, ao comprometer e envolver todos os colaboradores da instituição.

O Sistema de Gestão da Qualidade será o instrumento na concretização dos níveis de qualidade do serviço a prestar aos seus utentes, familiares e comunidade, através da avaliação continuada do desempenho dos seus OBJETIVOS:

Parceiros Sociais / Parcerias:

Estabelecer relações de confiança de longo prazo, mutuamente benéficas, com os nossos parceiros,

integrando e promovendo redes de parcerias ativas que permitam gerar sinergias na atividade da instituição.

Inovação, Notoriedade e Imagem:

Orientar a gestão da instituição para uma cultura de modernização e inovação

como estratégia para a sua notoriedade.
Intensificar os mecanismos de divulgação da sua imagem no exterior.

Competências:

Equipar a instituição dos melhores profissionais, fomentando o seu desenvolvimento pessoal e a sua valorização profissional.

Fornecedores:

Avaliar os nossos fornecedores na adequação das suas soluções às nossas solicitações de qualidade, para que possam ser facilitadores da melhoria

da nossa capacidade de resposta.

Utentes / Potenciais Utentes:

Agir proativamente no conhecimento das necessidades e expectativas atuais e futuras dos nossos utentes,

prestando-lhes serviços qualificados e no respeito pelos seus valores fundamentais. Intervir na comunidade envolvente através da procura sistemática de potenciais utentes e da avaliação permanente das suas reais necessidades.


Informação e Comunicação:

Assegurar para que a qualidade da comunicação interna gere informação verdadeira, fazendo uso das modernas

tecnologias de informação e comunicação.

Partes Interessadas:

Informar de forma responsável e transparente os utentes/famílias, parceiros, financiadores e comunidade.
Privilegiar a comunicação

com todas as partes interessadas por forma a desenvolver a sua participação na nossa instituição.

Valores e Ética:

Assumir por todos os colaboradores regras de conduta ética, de respeito da dignidade humana e de bem servir o utente.

Fazer cumprir o Código de Ética e Conduta da instituição na sua relação com todas as partes interessadas.

Legislação e Conformidade:

Assegurar a conformidade com os requisitos técnicos e cumprir a legislação e regulamentação aplicável aos processos,

atividades e serviços desenvolvidos pela instituição.

Sustentabilidade:

Prosseguir com as linhas estratégicas definidas, as quais visam a obtenção da melhoria dos resultados operacionais, por forma a que o

funcionamento da instituição atinja e garanta níveis de sustentabilidade económica e financeira consequentes com a sua missão.

Política de Gestão de Recursos Humanos

A Misericórdia de Gaia estabeleceu a Política de Gestão de Recursos Humanos a aplicar na Instituição a qual assenta nos seguintes princípios fundamentais:

Recrutamento e Retenção:

• Assegurar o cumprimento do procedimento estabelecido para recrutamento, seleção e integração de colaboradores, de modo a ficar garantida a

adequação do corpo profissional à legislação em vigor e à missão e objetivos da Instituição, bem como ao quadro de pessoal e aos perfis de competências definidos;

• Constituir e manter um quadro de profissionais com os conhecimentos e aptidões necessárias para o desempenho da sua atividade profissional e em número suficiente para responder adequadamente às necessidades dos utentes da Instituição.

Igualdade de Oportunidades e Não-Discriminação:

• Promover o respeito pela igualdade de oportunidades para todos os colaboradores e potenciais colaboradores;

• Valorizar o trabalho, a competência e o mérito profissional e proporcionar igualdade de oportunidades de progressão na carreira. Não devem praticar-se atos ou decisões que possam afetar a carreira profissional dos colaboradores, decorrentes de incidentes ou de aspetos da esfera do relacionamento pessoal;

• Garantir que todos os profissionais são tratados de forma equitativa, independentemente da idade, género, orientação sexual, estado civil, grau de instrução, deficiência física, religião, origem étnica ou racial, orientação política ou associação sindical, e que têm acesso à informação relevante para o desempenho das suas funções.

Reconhecimento dos Colaboradores e Voluntários:

• Avaliar periodicamente o desempenho dos colaboradores através da metodologia de avaliação implementada,

reforçando a motivação individual e coletiva dos colaboradores e reforçando o compromisso destes com os objetivos específicos da função que lhes é atribuída e com os Valores, a Cultura e os Objetivos da Instituição;

• Identificar os colaboradores com elevado desempenho, através do sistema de avaliação de desempenho, e implementar os mecanismos de reconhecimento em vigor;

• Reconhecer publicamente o contributo dos voluntários, bem como o seu impacto na Instituição e no bem-estar dos utentes.

Envolvimento dos Colaboradores:

• Promover o envolvimento dos colaboradores, valorizando o seu contributo individual para a melhoria contínua da qualidade dos serviços prestados e

motivando para a evolução do seu próprio desempenho profissional;

• Incentivar os colaboradores a adotarem métodos de trabalho inovadores, pela introdução de novas ideias, serviços e práticas.

Conformidade com a legislação laboral nacional e boas práticas:

• Garantir que a atuação da equipa de profissionais, enquadrada pela clara

definição de autoridades e responsabilidades, pelas boas práticas e pelo cumprimento da regulamentação em vigor, tenha sempre em vista a adequada prestação de cuidados aos utentes;

• Valorizar o local de trabalho como espaço privilegiado para a prevenção primária dos riscos profissionais, a proteção e promoção da saúde, proporcionando aos profissionais os meios e condições adequadas para o exercício das suas funções;

• Conservar o processo individual de cada colaborador, garantindo a confidencialidade da informação.

Política de Participação

A Misericórdia de Gaia estabeleceu a Política de Participação a aplicar na Instituição que promove a participação ativa dos seus utentes e familiares de todas as Respostas Sociais, estando o seu direito à participação expressamente consagrado nas Cartas de Direitos e Deveres dos Utentes e estabelecido nos Regulamentos Internos das respostas sociais. Neste sentido, assume os seguintes compromissos:

  • Promover a inclusão dos utentes de todas as Respostas Sociais na Instituição e na comunidade;
  • Promover a autonomia estimulando os utentes a participar nas atividades e rotinas da vida diária;
  • Fomentar a participação dos utentes e familiares na definição, execução e avaliação dos Planos Individuais;
  • Fomentar a participação dos utentes e familiares na avaliação dos serviços prestados pela Instituição;
  • Estimular a participação dos utentes nas atividades da Instituição (internas e/ou na comunidade);
  • Incentivar à apresentação espontânea de sugestões, elogios e reclamações;
  • Avaliar a satisfação dos utentes, e de outras partes interessadas, face à qualidade dos serviços prestados.

Política de Ética

A Misericórdia de Gaia estabeleceu a Política de Ética a aplicar na Instituição a qual deverá constituir o enquadramento formal para a atuação de todos os membros e colaboradores da Misericórdia.

A Política de Ética da Instituição rege-se pelos seguintes princípios:

Humanismo:

Demonstrar preocupação social perante a comunidade envolvente, o património cultural e ambiental, promovendo a intervenção

social a favor dos mais desfavorecidos.

Respeito:

Respeitar e tratar com urbanidade e lealdade a entidade patronal, os superiores hierárquicos, os colegas de trabalho, os

utentes/familiares e as demais pessoas que estejam ou entrem em relação com a Instituição.

Confidencialidade e sigilo:

Garantir a confidencialidade sobre os assuntos da Instituição e sobre todos os dados relativos à privacidade e intimidade

da vida dos utentes, salvaguardando o dever de sigilo da informação a que tenham acesso que apenas deverá ser utilizada no interesse da Instituição.

Integridade:

Agir de acordo com os princípios, valores e normas de conduta da Instituição, respeitando deveres e direitos de todas as partes interessadas.

Responsabilidade e rigor:

Cumprir todas as obrigações decorrentes do contrato de trabalho e das normas que regem a Instituição de

forma profissional, responsável e zelosa, procurando atingir a excelência no desempenho das suas funções.

Política de Prevenção de Abuso Físico, Mental e Financeiro

Na salvaguarda do superior interesse de todos e de cada um dos utentes e sendo seu dever prevenir os maus tratos, a Misericórdia de Gaia tem documentado os procedimentos a adotar nas situações de abuso físico, mental e financeiro dos utentes.

Estabeleceu como Política de Prevenção de Abuso Físico, Mental e Financeiro a aplicar na Instituição:

  • Promover a interação e articulação entre os vários intervenientes da comunidade (família, colaboradores da Instituição, profissionais da área social, da saúde e da psicologia, autoridade local, etc.) de forma a facilitar a partilha de informação relevante para a prevenção e encaminhamento de situações de abuso;
  • Divulgar os direitos dos utentes aos utentes/familiares e aos colaboradores, bem como fornecer a informação sobre como proceder em caso de violação da sua dignidade ou integridade física, psíquica e moral;
  • Promover e potenciar ações de sensibilização ou informação aos colaboradores e, sempre que possível, aos utentes, sobre as questões de abuso, negligência e maus tratos;
  • Promover uma consciência nos utentes/familiares e nos colaboradores, para as situações de risco a que os utentes poderão estar sujeitos.

Política de Confidencialidade

A Misericórdia de Gaia deve garantir que toda a informação respeitante ao utente é usada apenas para fins profissionais.

A reserva da vida privada e dos direitos, liberdades e garantias fundamentais são os princípios da nossa ação no que concerne ao tratamento de dados pessoais. O tratamento da informação deverá respeitar o definido na Lei 67/98 de 26 de Outubro relativa à Proteção de Dados Pessoais. Neste sentido, a Misericórdia estabeleceu uma Política de Confidencialidade que assenta nos seguintes princípios:

  • Não divulgar, de modo algum, informação pessoal relativa ao utentes/familiares sem a autorização dos mesmos, à exceção dos colaboradores, voluntários e estagiários autorizados pela Misericórdia que necessitem dessa informação para realizar as suas tarefas;
  • Assegurar que as informações que possam ser transmitidas a parceiros, fornecedores e outras partes interessadas no âmbito do desenvolvimento e execução de projetos comuns, não colidam com direitos fundamentais dos utentes/familiares, colaboradores, voluntários e estagiários da Instituição;
  • Garantir que apenas têm acesso aos dados pessoais dos utentes, para além dos colaboradores que deles necessitem para o exercício das suas funções, os familiares ou outras partes interessadas, após autorização do utente ou do representante legal que faça prova dessa qualidade;
  • Todos os corpos gerentes, colaboradores, voluntários, estagiários, mesmo depois de cessarem as suas funções, estão sujeitos ao sigilo profissional relativo a toda a informação interna que tenham tido conhecimento no decurso das suas funções;
  • Todos os corpos gerentes, colaboradores, voluntários, estagiários da Misericórdia, no exercício das suas funções, devem abster-se de divulgar informação que esteja sob sigilo profissional;
  • Divulgar por todos os meios e canais disponíveis na Misericórdia e em linguagem acessível, a presente política de confidencialidade.

Esta Política de Confidencialidade é revista bienalmente, podendo sofrer os ajustes que se vierem a considerar necessários.